youzz

março 10, 2009

Contos e outras bobagens de busão

já que tá quase na hora de pegar o rumo de casa...

eu me recuso e me dou o direito de não entrar em onibus lotado. simples assim. só em casos de extrema emergência. mas no geral, me lembro sempre de uma secretária que trabalhou comigo uma época, ela já era um tantinho mais velha (engraçado que me lembro perfeitamente do rosto dela, mas do nome, pfff), a gente esperando o ônibus na Paulista, o dela veio, eu disse, lá vem o seu e ela me respondeu: não Ju, eu não entro em ônibus cheio. e eu fiquei com essa cena marcada e me miro no exemplo dela. eu hein, de aperto tô fora!

***

o cara era bem bonito. tipo másculo, rústico (ui!). claro que eu só notei isso muito tempo depois. mas pegava o onibus com ele todo dia. depois de um tempo, ele me falava bom dia, ou sorria pra mim, mas nunca conversamos. a linha mudou e nunca mais o vi. sinto falta do meu "muso do busão".

***

no ponto final, vi que a perua já estava cheia (com todos os lugares ocupados, não desafiando as leis da física), resolvi esperar a próxima. a moça vem, comendo um milho assado na brasa, me pergunta: tá cheia? eu: não, mas prefiro esperar a próxima. ela: é verdade né? vou esperar também. quer milho, colega?

***

na minha frente, dois rapazes conversavam animadamente, e gesticulavam muito. juro que tentei, mas não entendi nenhuma palavra do que eles diziam. era um sotaque nordestino tãããão carregado e tão rápido. credo, parecia outra língua!

***

eu devo ter uma placa enorme em neon fúscia piscante bem em cima da minha cabeça, dizendo: "informações". não tem um dia que alguém não me pergunte alguma coisa na rua.

***

engraçado é que as pessoas começam a falar com você animadamente e nem se ligam que eu não tô ouvindo picas né? heloooouuuu, olha aqui meu fone de ouvido, sacou? normalmente nem me dou ao trabalho de tirar o fone, só sorrio e concordo com a cabeça. blé!

***

outro dia, por acaso eu tava sem os fones. dor de cabeça acho. aí, me preparando pra descer do onibus n° 1, ouço um senhor e dois garotos perguntando como faziam pra ir pro Morumbi. como lá é minha praia, acabei me intrometendo e informando, ensinando e "eu vou pegar esse onibus tb, é ali". os meninos iam participar de um teste de futsal no Morumbi. claro, estavam atrasados e perdidos (tinham saído de Diadema!), mas a ansiedade e expectativa eram quase palpáveis. me perguntavam a cada minuto se estava chegando. espero que eles tenham conseguido chegar a tempo e mais ainda, que tenham sido selecionados.

***

era um gordinho simpático e falante. conversava e brincava com a cobradora numa boa. eu cheguei até a sorrir por simpatia, gosto de gente assim que se comunica em qualquer lugar. só que aí o cara resolveu apoiar o braço no encosto do banco né? virgemmariasantissimajesusjosedeusminino o que era aquilo? uma criação de gambás em estado de putrefação avançada? não dá pra classificar como um simples cecê. tive que mudar de lugar.

***

o rapaz estava tão contente com as novas aquisições (provavelmente pros filhos, material escolar, tenis, essas coisas), que olhava admirado, detalhadamente pra cada item de sua compra. fiquei emocionada. imagino que não deve ter sido muito facil ele comprar tudo aquilo, e ele tava orgulhoso de ter podido, era bem visível.

***

ei moço! esse pé aí, debaixo do seu, é meu tá?

***

cantem comigo:

"chove lá fora e aqui
fecharo os vidruuu
a gripe vai pegar vocêêê...
aonde tá você? to no busunga...
lotado, lotado, lotadooooo!!!
tem sempre um cêcê
por pertuuuu, por pertuuuu
lástima, quero desceeeerrr"

***
o cara era daqueles tipos perfeitos: cabelo lindo, cara linda, boca linda, nariz lindo, corpo, tanquinho, roupas, acessórios, sapatos, tudo perfeito. pensei até em tirar uma foto. mas quando consegui bolar o plano perfeito pra fazer isso, cadê que pego o bus com ele de novo? humpft.

***
nego esquece que tá num troço se movimentando né? anda com "as asas" abertas, mexendo em bolsas e mochilas, ali, com os cotovelos prontinhos pra acertar o nariz de alguém né?

***

ei! "seu" motô! vai na manha aí que é carga é viva e no meu caso, muitíssimo preciosa!

***
puta que pariu esse onibus não vem, esse onibus não vem, puta que pariu... Again!

***
FUI!

8 comentários:

Rita de Cássia disse...

hauauauauauuaa!!!!]
Adogueiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!]Beijão lindona!

Mani disse...

Oi, minha linda, já peguei meu e-ticket! Que planos faremos???

Isa disse...

Adorei Juju :-D
Bjs

Anna Cá disse...

Tu tem sorte, mia fia, puique aqui os manos tiram a brusa no busão, e fica aquele fudum que dá enjoo!
Sodade!

Cláudia F disse...

Tu estás te especializando, hein?

p.s.: niguem consegue tacar os cotovelos nos meus olhos. lará lari lalá

Ana Paula disse...

Pronto, pra vc não reclamar: oi, Juju!
;-)

Anônimo disse...

Adorei o texto, querida, você realmente tem talento para contar coisas do cotidiano!
Beijocas de amor
Helga

Muta disse...

hahaha, mto bom moça, mto bom!

eu sabia que, em meio à minha gripe, eu encontraria alguma diversão por aqui. mesmo com vc falando para eu 'não esperar muito'...

hahaha, modesta! =P

beijo